terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Uma Cidade Enlouquecida.


Tenho como hábito e necessidade, caminhar pelo Centro de Recife.
A beleza arquitetônica da madrugada contrasta com uma
cidade enlouquecida no decorrer do dia.
Vi um gerente de funerária, fumando.
Um vendedor de frutas comendo cachorro quente.
Na Rua do Hospício, carros e camelôs nas calçadas, pessoas no meio da rua e
estudantes bebendo em frente à escola
Aliás, em frente a escola , vende-se tudo .
Nessa rua tipicamente brasileira,
de um lado Lojas Americanas, do outro Mac Donald.
Saindo do Hospício...
São 5.40 da manhã e na centenária farmácia dos pobres, mendigos dormem,
Na sacada do Teatro Santa Isabel , dezesseis “artistas”
mostram a arte de dormir nas ruas protegidos pela marquise.
As sete igrejas( não as da Ásia ) sequer percebem
crianças e adolescentes sujas, famintas e dormindo ao relento .
Faltam samaritanos, sobram cristãos.
Omissos.
No centro da grande cidade cabe tudo
Num dia um policial militar comprando dvds pirata
No outro o mesmo policial prendendo vendedores de dvds piratas.
Na frente da igreja universal um mendigo solitário dorme
À espera do amanhecer com prosperidade
Mas é daí se somos um país olímpico?
Ao menos em filas;
Medalha de ouro para a fila do Bolsa Família
Medalha de prata para a fila do Passe fácil – vem prá fila vem
Medalha de bronze para a fila da fundação Altino Ventura.
Há esperança?
Óbvio!
Ontem, numa grande celebração
a Assembléia Legislativa de Pernambuco
com a maioria dos deputados presentes
( maioria que não apareceram na homenagem aos 18 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente ), outorgou o título de Cidadão Pernambucano para :
Os revolucionários Chimbinha e Joelma
Cidade enlouquecida.

Silvino Neto,
Recife, 27 de Outubro de 2009.

Haiti: Quando a ajuda se torna esmola.

Em meio a trajédia nos deparamos com a mesquinharia dos chamados “desenvolvidos” para a ajuda humanitária. Vejamos os números: O Brasil, com US$ 15 milhões contribuiu mais do que a soma prometida por muitos países desenvolvidos, como Espanha (US$ 4,37 milhões), Alemanha (US$ 2,3 milhões), Holanda (US$ 2,9 milhões), Itália (US$ 1,5 milhões), Dinamarca (US$ 2 milhões), Suécia (US$ 1 milhão).
Aí algum capitalista diz: “Os EUA ajudaram com US$ 100 milhões!!!”
Que bom! Mas, lembram de quanto foi a ajuda do governo norte-americano aos Bancos durante a crise recente? Incríveis US$ 700 BILHÕES! Só no primeiro “pacotinho” (sete mil vezes maior do que a doação feita ao Haiti). O montante de ajuda no total pode chegar a (pasmem) US$ 1,5 trilhão (não vou nem contar quantas vezes dá isso). Tudo isso para alimentar o setor financeiro, responsável por lucros exorbitantes, e contribuinte direto para a desigualdade social. (É sério, os investidores não costumam dividir o que ganham, eles aplicam para ganhar mais).
A desigualdade capitalista que fez com que o Haiti não se preparasse para os tremores, visto que o país situa-se em área de risco, é a mesma desigualdade que proteje os investimentos no Japão. E olha que lá no Japão a média é de 3 tremores de terra por dia!!!
Então… Entenderam? É incrível como milhões de vidas valem tão pouco aos olhos do capitalismo.
P.s.: Não critico as pessoas e intituições filantrópicas que tiveram compaixão e ajudaram, mesmo sem ter muito, na reconstrução do Haiti.